11 de dezembro de 2014

Belém volta a ocupar primeiro lugar em participação no PIB do Estado


 
O Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgaram, nesta quinta-feira, 11, o relatório com os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) 2012 dos, até então, 143 municípios paraenses existentes - a emancipação politica de Mojuí dos Campos da condição de distrito só ocorreu em 2013. O documento disponibiliza informações como PIB; Valor Adicionado Bruto Agropecuário, Industrial, dos Serviços e da Administração Pública; PIB Per Capita dos municípios, expressos a preços correntes, além do Índice de Gini do PIB e dos Setores Econômicos, com o objetivo de acompanhar o nível de concentração das atividades econômicas no Estado.

O PIB do Pará totalizou R$ 91,009 bilhões em 2012, como já havia divulgado o Idesp em novembro deste ano. Os dez municípios paraenses com maiores contribuições na geração do Valor Adicionado no PIB foram: Belém (22,59%), Parauapebas (18,39%), Marabá (4,86%), Ananindeua (4,57%), Barcarena (3,81%), Canaã dos Carajás (3,43%), Tucuruí (2,99%), Santarém (2,76%), Castanhal (2,15%) e Paragominas (1,71%). A participação dos dez maiores municípios no PIB do Estado foi de 67,25%, menor, portanto, que no ano anterior (2011), quando chegou a 69,70%.

Belém retornou à primeira posição, com um PIB de R$ 20,558 bilhões, elevando a sua participação de 22,27%, em 2011, para 22,59% em 2012. Já o município de Parauapebas atingiu R$ 16,734 bilhões, mas perdeu em participação (18,39%) na comparação com o desempenho no ano anterior (22,51%).

A diretora de estatística do Idesp, Glaucia Moreira, explica que “apesar de Belém ter voltado a ocupar o primeiro lugar por um ganho de participação no setor de Serviços, especialmente nas atividades Comércio e Serviços Prestados às Empresas, a mudança no ranking se deu principalmente pela perda de participação de Parauapebas, influenciada pela queda do preço do minério de ferro comercializado internacionalmente, já que a atividade extrativa é responsável por mais de 80% do Valor Adicionado (VA) do município”. Também alternaram desempenhos os municípios que ficaram em terceiro e quarto lugar (Marabá e Ananindeua). Já Paragominas voltou a fazer parte desse grupo (em 2011 ocupava a 11ª posição), no lugar de Oriximiná. Os demais municípios mantiveram seus resultados (Barcarena, Canaã dos Carajás, Tucuruí , Santarém e Castanhal).

No que diz respeito ao PIB per capita - obtido ao se dividir o valor do PIB pela população estimada de cada lugar -, os municípios que obtiveram os maiores resultados foram Canaã dos Carajás (R$ 107.164) Parauapebas (R$ 100.598), Barcarena (R$ 32.902), Tucuruí (R$ 27.045) e Ourilândia do Norte (R$ 21.775), todos acima da média estadual dessa mensuração (R$ 11.679).

Estes cinco municípios estão entre as maiores participações no PIB do Estado e se destacam por suas indústrias minerais na extração de cobre, ferro e bauxita, e indústria de transformação, com produção de alumínio e alumina, além da presença da Hidrelétrica de Tucuruí. Em 2012, o município de Canaã dos Carajás passou a ser o primeiro do ranking. Apenas a partir do quinto colocado é que foram registradas alterações de posição: Floresta do Araguaia, com queda, e Marabá e Oriximiná, com alta. Belém e Xinguara deixaram de participar do ranking dos maiores PIB per capita, enquanto Bannach e Paragominas passaram a integrar os dez maiores.

Na outra ponta da lista, o município de Curralinho vem ocupando repetidamente, nos últimos três anos, a última posição do PIB per capita paraense. A economia do município se sustenta na administração pública, que, no ano, participou com 59,43% no total do Valor Adicionado. Dos dez municípios com menor PIB per capita em 2012, nove foram os mesmos do ano anterior, à exceção de Cachoeira do Piriá, que passou a constar na lista, substituindo Cachoeira do Arari. A diferença entre o maior (Canaã dos Carajás R$ 107.164) e o menor (Curralinho R$ 2.720) PIB per capita do estado foi de R$ 104.444 em 2012.

Entre as Regiões de Integração (RI), duas delas - Metropolitana e Carajás - continuaram obtendo as maiores participações (juntas somam aproximadamente 58%) no PIB em 2012. A RI Metropolitana, com 29,06%, teve como destaque os municípios de Belém e Ananindeua. Já na RI Carajás (27,90%), sobressaíram-se os municípios de Parauapebas, Marabá e Canaã dos Carajás. Entretanto, como Carajás perdeu participação de 3,31% em 2012, a Região Metropolitana passou a ocupar o primeiro lugar em 2012.

Atividades e setores econômicos que mais se destacaram nos municípios

Na comparação entre os dez melhores municípios posicionados no ranking do Produto Interno Bruto (PIB) e do Valor Adicionado (VA) dos setores econômicos, a Agropecuária colocou três municípios entre os maiores PIB, enquanto a Indústria e Serviços impulsionaram a colocação de oito, cada um. Isso indica uma integração entre esses últimos setores, ainda não absorvida pela agropecuária.

O Valor Adicionado da Agropecuária distribuído entre os municípios apresentou uma pequena concentração na relação com 2011, devido ao acréscimo de 20,6%. A pecuária bovina e a lavoura temporária foram as atividades que mais contribuíram para os municípios na formação do ranking do setor, tendo sido a primeira predominante em São Félix do Xingu, Novo Repartimento e Altamira. O município de Paragominas, além do ganho oriundo da pecuária, teve também impulso da lavoura temporária, na qual o município se destaca como maior produtor de arroz, milho e soja do Estado. 

Já, em Santarém, os maiores ganhos foram observados principalmente da mandioca, da qual o município é o maior produtor paraense. Entre os municípios, São Felix do Xingu se manteve como o maior Valor Adicionado na Agropecuária, com aumento de participação em 0,5 ponto percentual (p.p.), resultado alcançado em função do desempenho da pecuária. O aumento na concentração do setor agropecuário nos dez principais municípios foi de 1,90 p.p.

O Valor Adicionado da Indústria distribuído entre os municípios apresentou a maior concentração entre os setores econômicos. Entre os três municípios com predominância industrial, dois se basearam na indústria extrativa (Parauapebas e Canaã dos Carajás) e um na produção e distribuição de energia (Tucuruí). Parauapebas manteve-se na liderança do ranking estadual da indústria, mesmo tendo sido o município que mais perdeu participação em 2012, na ordem de 5,43 p.p.

O Valor Adicionado do setor de Serviços distribuído entre os municípios foi o único a manter o nível de concentração na comparação com 2011. Entre os setores econômicos, o comércio, a administração pública e os transportes foram as atividades que mais contribuíram para a composição do ranking do setor. Entre os cincos municípios com o maior VA do setor de serviços, dois (Belém e Ananindeua) tiveram o comércio como a principal atividade, assim como Marabá. Já em Parauapebas, a atividade predominante foram os transportes. O município de Belém permanece como principal centralizador das atividades, entre os dez maiores concentra mais que 50% de participação, porém obteve a maior perda em participação estadual, na ordem de 1,94 p.p., puxando para baixo a participação dos dez maiores em 1,31 p.p.

Observando-se especificamente a atividade da administração pública, percebe-se que em 2012 vinte e quatro municípios registraram uma participação de 50% ou mais dessa atividade no total do Valor Adicionado. Em 2011, foram vinte e três municípios nessa condição. O aumento no número de municípios pode ter ocorrido devido à expansão da atividade como um todo, mas também à estagnação ou baixo crescimento dos setores econômicos nesses locais.

Serviço: A publicação completa com os resultados para todos os municípios paraenses está disponível no site do Idesp (www.idesp.pa.gov.br).

 Fonte : Agência Pará Texto:
Fernanda Graim

Nenhum comentário:

CONFIRA ABAIXO NOTÍCIAS QUE FORAM DESTAQUE