18 de abril de 2015

Polícia continua atrás dos oito detentos que fugiram da cadeia de Parauapebas










Até o fechamento desta matéria, a polícia ainda não tinha recapturado nenhum dos oito detentos que na madrugada desta quarta-feira (8) fugiram da carceragem municipal do Bairro Rio Verde, em Parauapebas, pelo telhado do presídio.


A fuga dos internos foi confirmada pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado (Susipe), afirmando que os oito internos, considerados perigosos, empreenderam a fuga por volta das 3 horas da madrugada.


Para ganhar a liberdade, os internos serraram uma das barras de ferro da cela 3 onde estavam custodiados e, após saírem do local, tiveram acesso ao corredor, onde foi aberto um buraco no teto para que a fuga se concretizasse.


Segundo ainda a Susipe, agentes penitenciários chegaram a perceber a movimentação e acionaram os policiais militares de plantão, responsáveis pela guarnição do presídio. Foram efetuados disparos de arma de fogo como forma de advertência, para o alto, mas não foi possível conter os internos.


Procurada pela reportagem para falar sobre o assunto, a direção da carceragem informou que não possuía autorização para gravar entrevista, orientando que qualquer informação acerca do paradeiro dos foragidos poderia ser repassada pelo Disque Denúncia da Secretaria de Segurança Pública do Estado do Pará, número 181, e também pelo Whatsapp da Susipe, no número 98814-1218, sem a necessidade de se identificar.


O superintendente de Polícia Civil da região de Parauapebas, delegado Thiago Carneiro, informou que o caso foi registrado na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, mas até o final da tarde desta quarta-feira nenhum preso havia sido recapturado. Conforme a autoridade policial, informações também podem ser repassadas ao telefone da delegacia, 3346-8189.


Transferências
Antes da fuga, na terça-feira (7), 22 presos que estavam recolhidos à carceragem de Canaã dos Carajás e um que estava na delegacia de Curionópolis foram transferidos para presídios de Marabá, por policiais civis e militares. De acordo com o superintendente, a movimentação trata-se de uma medida de segurança, já que não é o ideal se manter presos em delegacias.


"Percebemos um grande número de presos naquelas delegacias, onde não é local para eles permanecerem, já que devem ser encaminhados para as penitenciárias.


Conseguimos autorização e fizemos a transferência”, afirmou Thiago Carneiro, acrescentando que em breve será inaugurado o prédio Pró-Paz em Canaã, onde não haverá mais espaço para ser mantido número elevado de presos.
Em Curionópolis, ainda conforme o superintendente, restam quatro homens nas celas, mas em breve eles também deverão ser transferidos. (Vela Preta/Waldyr Silva)

Nenhum comentário:

CONFIRA ABAIXO NOTÍCIAS QUE FORAM DESTAQUE