16 de maio de 2016

Em Oriximiná Policial Militar é agredido verbalmente dentro de delegacia por delegado e investigador porque questionava soltura de acusado de trafico


Um sargento da Policia Militar da cidade de Oriximiná foi destratado e agredido verbalmente por um delegado e um outro policial na delegacia da Policia Civil daquele município. O fato aconteceu depois que o sargento Janilson e sua guarnição colocaram na noite de Sexta feira (13), uma dupla de elementos que estava sendo acusada de trafico de entorpecentes. 

Segundo as informações colhidas por nossa equipe de reportagem a guarnição do sargento   envolvido na situação, a dupla foi presa pela guarnição quando estavam em um determinado local comercializando o entorpecente, fato que aconteceu por volta das 23 horas. Depois disso os acusados foram como manda a lei conduzidos para a delegacia para os procedimentos. Já no outro dia pela parte da manhã o policial militar retornou até o prédio da delegacia onde segundo ele esperou o delegado até as 11 horas da manhã é o mesmo não apareceu. 


"Fui novamente a tarde, na delegacia e quando cheguei peguntei a um investigador oque tinha sucedido sobre a ocorrência e o investigador vicente me disse que os indivíduos já tinham sido soltos, ai eu questionei o porque, ele fez algumas alegações que fiquei indignado,eu disse ao mesmo que queria uma copia do procedimento e o mesmo disse que não tinha e que isso era o delegado Erik que tinha feito, esperei o escrivão chegar e adentrei no interior da delegacia e peguntei ao escrivão e ele disse que não tinha feito nada ainda e que os indivíduos já estavam soltos porque eles eram viciados,nesse exato momento o IPC Vicente entrou na sala e me destratou de uma forma agressiva e saiu,depois veio ele e o delegado e de novo me cercaram e me agrediram e destrataram de forma que nunca vi alguém fazer, ofendendo ate a polícia militar em geral. Disse a nossa reportagem o sargento Janilson.

O Jornalismo investigativo do Grupo Elias Junior Noticias, teve acesso ao áudio onde o delegado e o investigador agridem com palavras o policial militar em questão.  Em imediato nossa equipe de reportagem entrou em contato com o comandante do CPR1 na cidade de Santarém, o coronel Tomaso nos informou que irá investigar o caso e que providencias serão tomadas. Tentamos contato com o delegado mais não obtivemos exito. 

Gostaríamos que a corregedoria da policia civil apure essa situação e que possa punir esses servidores públicos ,policiais que demostraram não ter profissionalismo e respeito com policiais militares. Situação vergonhosa de desrespeito de servidores que fizeram concursos para servir a sociedade e se respeitarem.  

Nossa reportagem já presenciou por inúmeras vezes, situações de que a PM faz a condução de acusados para a delegacia e que os militares ficam por horas e horas esperando a boa vontade de servidor preguiçoso que não quer trabalhar.

Ultimas informações, fomos informados de que as duas corregedorias das policiais Civil e Militar já foram informadas sobre o fato lamentável.


 Conversa de um dos acusados e outro comparsa ao avistarem a policia 
No celular de um dos vagabundos a prova de que eles estavam traficando, uma conversa entre o acusado e comparsas do outro lado da linha. Uma pergunta que não quer calar por qual motivo a dupla não permaneceu presa se além da quantidade de entorpecentes a policia ainda tinha as provas da conversa no celular ?

Nenhum comentário:

CONFIRA ABAIXO NOTÍCIAS QUE FORAM DESTAQUE