7 de julho de 2016

Latrocínio interrompe a vida de Maurílio dos Santos Gomes em Parauapebas


A triste notícia que a família e os amigos de Maurílio dos Santos Gomes, de 33 anos, não queria ouvir, infelizmente, foi confirmada pelo delegado plantonista Nelson Alves Junior, na manhã do último domingo (3).

Maurílio Gomes, que estava desaparecido, teve o corpo encontrado no fim de semana, em uma residência localizada na Rua K 2, Quadra 325, Lote 8, Bairro Cidade Jardim, com 40 facadas. O acusado do crime é Clevisson Batista da Silva, de 30 anos, que estava de posse da motocicleta e do celular de Maurílio.

Caso
Segundo o delegado Nelson, na última sexta-feira (1º), por volta das 17 horas, a vítima saiu do trabalho, arrecadou o dinheiro do dia e depois não manteve mais contato com a família.

“Os familiares passaram a fazer ligações para o celular de Maurílio, após as 18 horas, e outra pessoa atendia e se passava pelo rapaz. A família perguntou se era sequestro. Como não teve resposta, vieram na delegacia, trouxeram o número do celular e do e-mail da vítima para que pudéssemos localizar o rapaz”, declarou a autoridade.

Conforme o delegado, já na madrugada de sábado (2), a Polícia Militar encontrou a motocicleta de Maurílio em frente ao Bar Opção, no Bairro da Paz, quando foi feita a detenção do acusado do crime, Clevisson Batista da Silva, que tentou encobrir para que os policiais não fossem na casa dele, pois o corpo estava lá.

“No domingo de manhã, atendi uma ligação de uma amiga do Clevisson no celular da vítima, perguntando onde ele [Clevisson] estava. Eu disse que ele tinha sido preso por embriaguez e perguntei o endereço dele, quando ela me repassou”, contou.

O delegado Nelson disse ainda que, na companhia de um investigador, abriu a casa do acusado e encontrou o cadáver lá, já com mau cheiro e bastante inchado. Em seguida, a família da vítima foi comunicada e a remoção do corpo foi feita.

“O acusado nega que tenha matado o rapaz. Disse que comprou o celular e a moto por 500 reais. O documento da moto estava no quarto do Clevisson, e com manchas de sangue”, acrescentou o delegado Nelson.

Para esse tipo de crime, o latrocínio, que é o roubo seguido de morte, a pena é de até 30 anos de reclusão. 

Fonte : Blog do Vela Preta

Nenhum comentário:

CONFIRA ABAIXO NOTÍCIAS QUE FORAM DESTAQUE