27 de setembro de 2016

Elementos invadem casa no Amparo e executam ex presidiário dentro do quarto na frente de sua companheira


Na noite de Segunda feira (26) um jovem de nome  Júnior Santos de Siqueira  de 20 anos de idade, foi assassinado em sua própria casa, localizada na Rua Vitoria Regia 06 no bairro do Amparo.

Segundo as informações repassadas ainda do local pela Policia Militar pela GU do Cabo Henrique que atendeu a ocorrência, ele que estava na VTR 0308, 
 O "Juninho" como era conhecido, foi assassinado com 04 tiros na frente de sua companheira, as informações são de que que os dois homicidas entraram na residência onde o mesmo estava em seu quarto  e puxaram pelo cabelo e assassinaram o Juninho na frente de sua esposa.  O mesmo era ex presidiário, já tinha sido preso por tráfico e roubo.
  
Vale ressaltar que o fato aconteceu aproximadamente as 23 : 50 horas, o IML retirou o corpo as 02 : 10 da madrugada como sempre demora em atender uma ocorrência. Vale ressaltar que a vitima morava no bairro do Mapiri, as informações de que ele teria sido morto por chefes do trafico de drogas que atuam na área. Vale relembrar também que nesta área em que aconteceu o homicídio o local e recheado de bocas de fumo.  

Fonte : Elias Junior Noticias / Em parceria com o Blog do JK 

Um comentário:

Elinaldo Silva disse...

Caríssimo Elias,

Sou Elinaldo, Perito Criminal do Centro de Perícias Científicas "Renato Chaves", lotado em Santarém.
Visando contribuir para melhor entendimento de seus leitores, venho tecer alguns comentários sobre sua informação de que o IML retirou o corpo do local às 02:10hs, o que segundo você, sempre demora em atender uma ocorrência.

Ao receber uma requisição onde ocorreu morte violenta (homicídio, suicídios, acidentes de tráfego, etc) expedida pela Autoridade Policial (Delegado), o Centro de Perícias designa Peritos Criminais para que possam periciar o local na busca de vestígios, que após devidamente analisadas por profissionais treinados se tornão indícios e provas que serão carreadas ao autos do inquérito policial e consequentemente ao processo judicial.

O trabalho do Perito Criminal é minucioso, pois é por intermédio deste que as provas materiais serão as provas irrefutáveis que o Poder Judiciário requer para se fazer justiça, punindo os culpados e absolvendo inocentes, bem como punir aplicando a dosimetria da pena de acordo como o fato ocorreu. Não basta dizer que houve morte, mas como ela ocorreu. Houve excesso? Houve oportunidade de defesa? Foi utilizado meio cruel ou insidioso? São perguntas que deverão estar em um Laudo Pericial.

Somente após a perícia no local é que os Peritos Criminais (do Instituto de Criminalística) autorizam a remoção do corpo para que o IML (Instituto Médico Legal) faça a necrópsia para se verificar a causa mortis.

No caso em epígrafe, é fato que o corpo só foi removido às 02:10 hs, contudo seu informante esqueceu de dizer que a equipe de Peritos chegou bastante tempo antes e estava fazendo os exames periciais necessários, não havendo portanto, qualquer demora do órgão em se deslocar e fazer as perícias, tão logo receba a requisição da Autoridade Policial.

Espero ter contribuído para dissipar esse equívoco.

CONFIRA ABAIXO NOTÍCIAS QUE FORAM DESTAQUE