4 de janeiro de 2018

Polícia Civil e Militar transfere Homem acusado de atentar contra a vida do irmão



Polícia Civil e Militar transfere Homem acusado de atentar contra a vida do irmão após discussão.
A Polícia Civil e Militar transferiu, no início da manhã de hoje, da UIPP de Rurópolis para o presídio do Centro de Recuperação Regional de Itaituba, por determinação judicial, o nacional Antonio Erionilson Santos Silva, de 38 anos, no município de Rurópolis, sudoeste do Pará, pelo crime de tentativa de homicídio.

O acusado atirou contra o próprio irmão, Ezequias dos Santos Silva e que de acordo com o delegado Ariosnaldo Vital Filho, titular da Unidade Integrada Propaz (UIPP) do município, o acusado segundo relatos de testemunha estava bêbado e usou uma espingarda do tipo ar comprimido modificada para cometer o crime e somente não conseguiu porque seu alvo, o próprio irmão, Sr., Ezequias dos Santos Silva conseguiu se esconder dentro de uma moita no momento em que foi desferido o tiro de espingarda passando de raspão as proximidades de seu corpo. O fato ocorreu na noite de 02 de Janeiro.

Antonio Erionilson foi preso logo após o crime em um posto de saúde do município, quando recebia atendimentos médicos.
Segundo o delegado, o crime teria acontecido após Antonio Erionilson ter sido mordido por um cachorro da raça Pit Bull que pertencia a Ezequias dos Santos. "Com raiva do cachorro, ele quis matar o animal e o dono do cachorro tentou impedir", explica o delegado. Em seguida, Antonio Erionilson pegou a espingarda e disparou contra Ezequias dos Santos. O acusado teria escondido a arma na casa do próprio pai e se dirigido a um posto de saúde, para tratar os ferimentos. Foi nesse local que ele acabou preso.


Antonio Erionilson informou aos policiais sobre o paradeiro da espingarda. Policiais militares foram até a residência e apreenderam a arma. A espingarda foi adulterada para calibre 22. Além da espingarda, o polícia encontrou um cartucho calibre 22, que estava deflagrado. A arma foi apreendida e encaminhada para análises periciais.
As peças do flagrante delito foram apresentadas ao Juiz da Comarca de Rurópolis que homologou o flagrante e converteu em Prisão preventiva e  imediatamente determinou a transferência do custodiado de justiça para o presídio de Itaituba em razão do grau de periculosidade do mesmo, bem como para garantir a manutenção da Ordem Pública e aplicação da lei penal em todo seu rigor.
Antonio Erionilson já está recolhido à disposição da Justiça e responderá pelos crimes de tentativa de homicídio qualificado, porte de arma de fogo e disparo de arma de fogo, infrações penais estas consideradas hediondas aos olhos da lei.
A escolta até o presídio de Itaituba foi imediata feita pelo policial civil Antônio Lira e pelo Sub-Tenente Juscelino Queiroz, sob a supervisão do comando da 17ª CIPM.

Em Nota:
A Polícia Civil também na data de hoje, encaminhou para o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves de Itaituba uma série de objetos produtos de crimes apreendidos e apresentados durante as operações policiais realizadas no mês de dezembro de 2017, dentre eles além da arma de fogo e munição utilizada pelo Antônio Erionilson, encaminhou-se uma cadeira de madeira danificada, apresentando vários cortes de facão, apreendida num estabelecimento comercial de fins recreativos, objeto de investigação importante para a segura conclusão de inquérito policial e delimitação de autoria que se apura crime de atentando contra a vida ocorrido no final do mês de Dezembro que está em andamento.

Também em nota, a nossa reportagem, o delegado informou que já foi instaurado inquérito policial para apurar crime de homicídio na direção de veículo automotor, ocorrido na data de 01/01/2018, por volta das 11h30min, quando a Sra., Maria da Cruz Carvalho, 84 anos, munícipe, caminhava pela Rua José Rodrigues da Costa e foi atingida por um veículo de passeio, vindo à óbito naquela mesma noite em razão dos graves ferimentos. De acordo com a Autoridade Policial a autoria do crime já está delineada, contudo, investigam-se as circunstâncias do crime, bem como se houve por parte do causador dolo ou culpa, socorro ou omissão e se o mesmo estava habilitado para conduzir tal veículo. Ou seja se tais fatores, quesitos estes que devem ser observador por lei, contribuíram para o resultado mais gravoso. Segundo o delegado dentro de 30 dias o inquérito policial estará concluído.

Fonte  : Grupo Elias Junior Notícias

Nenhum comentário:

CONFIRA ABAIXO NOTÍCIAS QUE FORAM DESTAQUE